Farol de Alexandria: Uma das maiores edificações que o mundo conheceu em (280 A.C.)

Um dos primeiros faróis da humanidade foi construído em Alexandria e, pelo menos, tentou alcançar o título de mais relevante dentre todos, posto que ficou conhecido por ser uma das sete maravilhas. Na verdade, a função de um farol, como bem sabemos, é guiar as embarcações, e era isso mesmo que estava afixado numa inscrição deste farol, ressalvando que foi erguido no interesse daqueles que navegam.

Mas este farol tinha uma outra curiosidade: era a mais alta edificação que o mundo conhecera até então, com um alcance reflexivo superior a 50 quilômetros de distância. Com isto, o porto de Alexandria auxiliava, e muito, os navios que se aproximavam da sua costa.

Unindo, assim, o útil ao agradável, esta construção com cerca de 100 metros de altura, chamado Pharol, foi imaginada por Ptolomeu Soter, porém concluída apenas por seu filho, Ptolomeu Filadelfus. Porém, o dito monumento era dedicado a Soter e sua esposa, a graciosa Cleópatra Berenice.

No momento em que os árabes avançaram para ocidente, o farol foi muito admirado por seus sultões, até o momento em que o espelho, responsável pelo reflexo, se partiu. Aí, decidiram criar uma grande mesquita no seu interior.

Causas naturais levaram a que, sucessivamente, o seu estado se degradasse visivelmente até que, já na Idade Média, o que restava da construção fosse utilizado para a edificação de um forte. Apagou-se assim a memória visual do Fone de Alexandria, restando somente as descrições dos relatos históricos.

Compartilhe: